Brincadeira de criança – 1

brincadeira-vo1

Uma garota me perguntou como brincávamos em época que não existia internet, computadores, redes sociais e jogos eletrônicos. Boa pergunta. Vou contar algumas brincadeiras que nos ocupavam por horas.

Na minha família as crianças sempre tiveram mais espaço que os adultos, o mundo girava para nós e por nós, talvez a minha experiência de criança tenha sido mais rica que a de outras crianças da mesma época, além de ter primos incríveis, vizinhos fantásticos e um quintal… Bem o quintal da minha infância era a casa toda e a rua.

Espaço sem fim para fazer tudo o que eu queria.

Era raro uma criança que não tivesse – e usasse – um meio de locomoção: bicicleta, patinete, patins (aqueles de quatro rodinhas, pesado pra caramba) e skate. Mas era a bicicleta a rainha do pedaço.

Para ficar mais legal, vou dividir em vários posts. O primeiro são brincadeiras que aconteciam dentro de casa. Nós nos reuníamos na sala – adultos e crianças – e bastava papel e caneta para começar a brincadeira.

Stop: Cor, flor, fruta, fantasia, carro, lugar, marca. Era só falar uma letra, todos tinham de anotar coisas que começavam com a letra escolhida. O primeiro que terminava gritava: – Stop! Todos paravam e fazíamos a contagem de pontos. Para palavras iguais, 5 pontos. Palavras diferentes 10.

Tibitar: Essa era bem engraçada. Uma pessoa do grupo sai da sala. Os que ficam escolhem um verbo, por exemplo, andar. A pessoa volta e tem de descobrir, através de perguntas qual é o verbo. – Todas as pessoas tibitam? Você precisa de alguma coisa específica para tibitar? Estamos tibitando agora? Quem não tibita, morre? E assim vai. Imagine os verbos escolhidos, imagine as perguntas, e as respostas…..

Se fosse: Uma pessoa do grupo sai. Escolhemos uma pessoa para falar sobre ela. Quem sai, volta e tem de descobrir, através de perguntas, quem é o escolhido. Se fosse uma cor, qual cor seria? Se fosse um animal, qual seria? E assim por diante.

Dicionário: Uma pessoa escolhe e fala uma palavra do dicionário. Cada um do grupo escreve o significado da palavra, quem se aproximar mais do significado correto ganha a rodada. Parece sem graça? Porque você não imagina a quantidade de palavras toscas que tem no dicionário e como seus significados são diferentes daquele que se imagina….

No próximo post, algumas ideia malucas que nos distraiam demais da conta…. uma felicidade total!
Havia também outra ideias malucas:
Repeteco: Meu primo Nino e eu tínhamos o hábito de decorar propagandas e reproduzi-las ao vivo para a plateia familiar.

História sem fim: Quando éramos mais crianças, a minha avó, brincava de inventar história. Um começava a contar: era uma vez um menino chamado João que morava na….. outro continuava: casa verde da rua Esperança. E assim por diante… ficava uma história sem fim, divertida e cheia de reviravoltas.

Essas eram as nossas brincadeiras, mas você pode adaptar e ficar muito mais legal!

Por exemplo, você pode gravar os próprios comerciais, ou mesmo a história criada por todos, que sabe representa-la?

Pode também inventar um Master Chef – cada um faz um sanduiche e o melhor, ganha o prêmio da tarde.

As ideias estão ai e as férias também. Que tal tentar uma delas com seus amigos?

Tem dúvida? Não entendeu alguma? É só mandar uma mensagem pra mim que eu te ajudo a brincar.

Amanhã vou postar outras ideias, tenho certeza que você vai gostar!